sexta-feira, fevereiro 07, 2014

o que fazer agora?

Mais uma cerveja, um filme, um desejo, a vontade, o feito.
Uma lista, algumas coisas, o plano, a vontade de mergulhar
A água, o sol, o verde, as pedras, tudo no mesmo lugar
O (eu) sozinho, o querer, o momento, a viagem

sexta-feira, novembro 15, 2013

domingo, outubro 20, 2013

A saída do coração pela boca

- Faz tanto tempo...
[senti o ar súbito, adrenalizado com as batidas do coração]

A tanto tempo sem nenhuma notícia, esperando, desistindo, mas fui pega pela surpresa! 
[euforia toma meu corpo,  sensação de calor e curto ar, surgindo junto com sorriso sem graça: feliz pela notícia inesperada, mas sem saber pensar ou dizer qualquer coisa, ainda sonhando com notícia.


segunda-feira, outubro 14, 2013

Entregue ao mar

Corpo, Alma e Poesia...





Declaration of Dependence:

domingo, outubro 13, 2013

Um retorno com tom de redescoberta e novas cores

Nesse finzinho de tarde de domingo ensolarado, uma vontade de me desligar das obrigações e me ligar em mim, me fez chegar aqui.

Entre o passado, as lembranças, os sonhos, os vômitos, a vontade de descobrir e observar o presente por minhas palavras, de me livrar do lápis e dos borrões, páginas misturadas com metas de trabalho, obrigações, casa-casamento. Essa é a vontade de ter um lugar pra mim: meu da ponta da unha ao fio de cabelo, sem confundir, nem misturar nada que for dos outros.
Isso é um grito, uma vontade silenciosa da individualidade, propondo um diálogo amigo comigo mesma.

Lendo-me, vejo como tão intenso foi o rumo que deu minha vida. Vejo os versos de uma adolescente em plena descoberta de si mesma. Entregando-se deslumbrada, de forma tão bruta, ingênua e pura.
Essa adolescente decidiu encarar a vida de frente, correr os riscos das decisões, voar pra novos mundos.
Quiz tanto correr que  voo.

Essa adolescente mudou, cresceu, ficou mais "pensativa", "experiente", mas ainda não sabe o que se tornou.
Tá com os hormônios mais controlados, tá gostando de cuidar da decoração de casa, de planejar o orçamento, o tempo, de cozinhar pra dois, de pensar em filhos e  em construir uma casa, de comidas e bebidas mais rebuscadas, de conviver com pessoas acima dos 30 e menores de 10 ...

Por outro lado, tenta viver numa cidade que ora abraça, ora expulsa, de cuidar de um casamento que ora exala amor pleno, ora implora pra estar longe...

Enfim, a vida e seus na-na-nãs de surpresas que abalam a rotina de qualquer um. 

Mas hoje a vida me clamou um merecido domingo tranquilo, ensolarado, silencioso e pra mim.
Obedeço sem pesar nenhum na consciência, satisfeita, serena, feliz por redescobrir novamente esse cantinho.